Bolsa de Valores: Investimentos e os Impactos no Mercado Financeiro

Como a BOLSA DE VALORES funciona e como ela impacta no MERCADO FINANCEIRO brasileiro.

Sandro Torrecillas

Investimentos em Bolsa de Valores fonte Canva.

A Bolsa de Valores é um ambiente extremamente dinâmico, onde ações de empresas são compradas e vendidas com o objetivo de obtenção de lucro.

A sua operação é influenciada por uma miríade de fatores, incluindo indicadores macroeconômicos, políticas governamentais, e até mesmo eventos globais.

Neste artigo, discutiremos especificamente o impacto da Taxa Selic, das Criptomoedas e o conceito de Valor Econômico na Bolsa de Valores.

Entendendo a Bolsa de Valores

Você sabe como funciona o sistema da Bolsa de Valores?  Para entender, vamos primeiro dizer o que é, e como ela funciona.

A Bolsa de Valores é uma instituição onde ocorrem negociações de títulos financeiros. Isso inclui ações de empresas, commodities, derivativos, moedas, entre outros.

A sua principal função é proporcionar um ambiente seguro e regulado para essas transações, garantindo a lisura e transparência das negociações.

Como Funciona o Mercado de Ações?

A Bolsa de Valores é um mercado organizado onde ocorrem as negociações de ações (que são basicamente participações em empresas), commodities, contratos e outros instrumentos financeiros.

Ela serve como um intermediário para estas transações, conectando compradores e vendedores. Vamos detalhar mais a fundo como ela funciona.

Listagem de Ações das Empresas

Empresas listam suas ações na bolsa de valores para arrecadar dinheiro. Esta é normalmente realizada através de uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês).

Durante um IPO, uma empresa vende um número específico de ações para o público. As pessoas que compram estas ações se tornam acionistas da empresa, ou seja, proprietários de uma parte dela.

Negociação de Ações

Após o IPO, as ações da empresa são negociadas entre os investidores na bolsa de valores. O preço das ações varia com base na oferta e demanda.

Se muitos investidores querem comprar a ação (alta demanda), o preço sobe. Se muitos investidores querem vender a ação (alta oferta), o preço cai.

Corretoras de Valores

Para comprar ou vender ações, os investidores precisam usar os serviços de uma corretora de valores. As corretoras agem como intermediários entre os investidores e a Bolsa de Valores.

Investidores e Traders

Existem dois tipos principais de participantes do mercado na bolsa de valores: investidores e traders.

Investidores compram ações com a intenção de mantê-las a longo prazo, esperando que elas aumentem de valor ao longo do tempo.

Traders, por outro lado, tentam lucrar com as flutuações de curto prazo nos preços das ações.

Ordens de Compra e Venda

 Os investidores e traders colocam ordens de compra e venda através de suas corretoras.

Uma ordem de compra indica o máximo que o investidor está disposto a pagar por uma ação, enquanto uma ordem de venda indica o mínimo que o investidor está disposto a receber por uma ação.

Horário de funcionamento

A bolsa de valores tem um horário de funcionamento específico.

No Brasil, por exemplo, a B3 (Bolsa de Valores de São Paulo) funciona das 10h às 17h. Durante este tempo, os investidores e traders podem comprar e vender ações.

Bolsa de Valores e o mercado de ações - Fonte Canva
A Bolsa de Valores e o Mercado de Ações. Fonte Canva.

O Papel da Taxa Selic na Bolsa de Valores

A taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) é a taxa básica de juros da economia brasileira.

Ela serve como um parâmetro para outras taxas de juros no país, incluindo as taxas de empréstimos, financiamentos e aplicações financeiras.

Quando a Selic está alta, os investimentos em renda fixa tornam-se mais atrativos, tendo em vista que oferecem um retorno garantido.

Isso se aplica a títulos públicos emitidos pelo governo federal, aos conhecidos Certificados de Depósito Bancário (CDBs) oferecidos pelos bancos, às Letras de Crédito e às Debêntures, entre outras alternativas disponíveis no mercado.

Isso pode levar a uma saída de capital da bolsa de valores, pois os investidores podem preferir a segurança da renda fixa em detrimento da incerteza da bolsa.

Por outro lado, quando a taxa Selic está baixa, a renda fixa torna-se menos atrativa, levando os investidores a buscarem alternativas mais rentáveis, como a bolsa de valores.

Isso pode levar a uma entrada de capital na bolsa, o que pode impulsionar os preços das ações.

Criptomoedas e a Bolsa de Valores

As criptomoedas, como o Bitcoin e Ethereum, revolucionaram o mundo financeiro.

Com a promessa de descentralização, segurança e privacidade, elas ganharam popularidade e se tornaram um novo tipo de ativo financeiro.

As criptomoedas têm uma relação complexa com a bolsa de valores. Por um lado, elas são vistas como uma alternativa à bolsa, oferecendo oportunidades de investimento fora do sistema financeiro tradicional.

Isso pode levar a uma saída de capital da bolsa de valores, especialmente em tempos de incerteza ou instabilidade.

Por outro lado, o crescimento e a popularidade das criptomoedas também têm levado a um maior interesse no mercado financeiro como um todo, o que pode acabar beneficiando a bolsa de valores.

Além disso, cada vez mais empresas listadas na bolsa estão investindo em criptomoedas ou adotando tecnologias blockchain, o que também pode impactar positivamente os preços das ações dessas empresas.

Valor Econômico e a Bolsa de Valores

O valor econômico de uma empresa é uma medida de sua capacidade de gerar riqueza para seus acionistas. Isso é feito através da geração de lucro, pagamento de dividendos e aumento do valor de suas ações.

O valor econômico também leva em consideração o potencial futuro de uma empresa, incluindo seus planos de expansão, desenvolvimento de novos produtos e entradas em novos mercados.

Na bolsa de valores, o valor econômico de uma empresa é refletido no preço de suas ações.

Se os investidores acreditam que uma empresa tem um alto valor econômico, eles estarão dispostos a pagar mais por suas ações, o que levará a um aumento no preço das ações.

Por outro lado, se os investidores acreditam que o valor econômico de uma empresa é baixo, eles estarão menos dispostos a pagar por suas ações, o que levará a uma queda no preço das ações.

Dessa forma, o valor econômico de uma empresa pode influenciar diretamente a sua performance na bolsa de valores.

É por isso que muitos investidores passam um bom tempo analisando o valor econômico de uma empresa antes de decidirem comprar ou vender suas ações.

Conclusão

A bolsa de valores é um ambiente complexo e dinâmico, influenciado por uma variedade de fatores.

A Taxa Selic, as criptomoedas e o valor econômico de uma empresa são apenas alguns dos muitos fatores que podem afetar o desempenho da bolsa.

Investir na bolsa de valores requer uma compreensão profunda desses fatores e de como eles interagem entre si.

No entanto, com a educação financeira adequada e uma estratégia de investimento sólida, a bolsa de valores pode ser uma ferramenta poderosa para a criação de riqueza.

Em um mundo cada vez mais digital e globalizado, é crucial que os investidores se mantenham atualizados sobre as últimas tendências e desenvolvimentos no mercado financeiro.

Seja a queda da Taxa Selic, o aumento da popularidade das criptomoedas, ou as mudanças no valor econômico de uma empresa, cada um desses fatores pode oferecer novas oportunidades de investimento e desafios.

O futuro da bolsa de valores é incerto, mas uma coisa é certa: ela continuará a desempenhar um papel crucial na economia global.

E à medida que avançamos para o futuro, os investidores que compreendem a bolsa de valores e os fatores que a influenciam estarão melhor equipados para navegar nesse ambiente em constante mudança.

Photo of author
Trabalhador no ramo financeiro há 20 anos diretamente e há quase 30 indiretamente. Formado em Gestão Pública. Cetificado CPA20. Ajudo pessoas a entender e organizar suas finanças.